“Well-run libraries are filled with people because what a good library offers cannot be easily found elsewhere: an indoor public space in which you do not have to buy anything in order to stay.” Zadie Smith

terça-feira, 31 de julho de 2012

HOW TECHNOLOGY HAS CHANGED CHILDHOOD


Over the past eighteen months Internet security company AVG (disclosure – Rabbit client) has been carrying out research to see how technology has changed childhood, beyond recognition from someone who grew up twenty or thirty years ago.
With five waves looking at kids from birth across eleven countries, the end result is a fairly extensive piece of research. Ten key stats are as follows:
1 – 81% of children under two currently have some kind of digital dossier or footprint, with images of them posted online. In the US that rises to 92%

2 – Though the average digital birth of children happens at around six months, a third (33%) of children have information and photos online within weeks of being born. In the UK, 37% of newborns have an online life from birth, whereas in Australia and New Zealand the figure is 41%

3 – A quarter (23%) of children have had their pre-birth scans uploaded to the Internet. This figure rises to 34% in the US, while in Canada the figure is even higher at 37%. Fewer parents share scans of their children in France (13%), Italy (14%) and Germany (15%)

4 – More small children can play a computer game than ride a bike. 58% of children aged 2-5 know how to play a ‘basic’ computer game. For the UK and France that jumps to 70%. Even 44% of 2-3 year olds have the ability to play a computer game. By comparison, 43% of kids 2-3 can ride a bike

5 – There is no tech gender divide between young boys and girls. As many boys (58%) as girls (59%) can play a computer game or make a mobile phone call (28% boys, 29% girls)

6 – More than half (51 percent) of 6- to 9-year-olds use some kind of children’s social network such as Club Penguin or WebKinz. However, 58 percent of their parents admit they are not well-informed about their children’s online social networks

7 – Despite Facebook in theory barring access to the under 13s, in Spain and Italy most are on at age ten, in the US, US, UK, Canada, France, Australia, New Zealand it is 11, while in Germany most ‘graduate’ to these sites at 12. Across all countries children reach so-called social media maturity at 11

8 – A majority of parents in the USA (61%), Spain (61%), Italy (54%) and Canada (54%) admit to secretly accessing their teen’s Facebook account without them knowing.
Across all 11 countries, 44% admitted to doing this with mothers (49%) more likely to check up on their teenage kids than fathers (39%). Though 48% of parents of 14 year old children access their kids’ Facebook accounts, a significant (40%) number of parents of 17 year olds still do so.

9 – A majority of parents in Spain (65%) and Italy (57%) fear that what their teens’ post on social networks now will harm their college, career or dating prospects in the future. In the US (40%) and Australia (42%) around 40% are concerned, while UK parents are somewhat more relaxed with only 30% being worried about their teen’s digital footprint.

10 – UK parents in particular give their kids’ teachers high marks with 59% saying that they do a good or very good job of preparing teens’ for digital adulthood, compared with 21% that feel they do a bad job.

A majority of Spanish (54%) and Australian (53%) parents likewise rate teachers as good or very good, while US parents (49%) are more ambivalent. Italian parents however (35% good job / 39% bad job) believe that when it comes to the Internet, the Italian schools system is failing their kids.
[via liesdamnliesstatistics]

HÁ LIVROS QUE SÃO A NOSSA CARA (10)


"SONHAR AO LONGE" DE JORGE SERAFIM


Que história ou histórias se contam neste que define como um livro “para crianças de todos os tamanhos”? 
É a história de um rapazinho que mora numa rua feia, vazia e desumanizada e através das muitas horas passadas à janela do seu próprio quarto, enquanto denuncia vizinhos desconhecidos, crianças que não brincam, prédios feitos à pressa e pássaros que fazem companhia a quem precisa, imagina formas de transformar a rua aonde vive num local mais aprazível. É a história de alguém que, através do uso da imaginação, embeleza o mundo que habita, transformando-o num outro substancialmente mais apelativo. Afinal as casas fazem parte do corpo das pessoas e são todas para amar. E as casas, como as pessoas, têm direito à vida.

Ler +

segunda-feira, 30 de julho de 2012

BOOK PLACES REDUX

PARA LEITORES SOFISTICADOS QUE ADORAM O ODOR A LIVRO


kafkawannab:

vintageanchor:

The Sweet Smell of Dusty Books…The most popular scent in perfumer Christopher Brosius’s “I Hate Perfume” collection is “In the Library,” which smells like old, dusty books. “My work is really about things that really do smell wonderful, but don’t have a lot of the properties that commercial perfumes do,” he said. NPR’s All Things Considered noted that Brosius “blends and bottles all of his scents by hand in his workshops. The process may be labor-intensive, but it allows him to create singular scents that can’t be mass-produced.”

This might be the greatest thing EVER.
Christopher Brosius’s “I Hate Perfume” collection is “In the Library,”


 Designed “for booklovers” by Geza Schoen, Gerhard Steidl, and Wallpaper* magazine, Paper Passion comes with packaging by Karl Lagerfeld and Steidl.

ESTÁTUAS DE GRANDES ESCRITORES (5)


James Joyce (known to inhabitants as ‘The Prick with the Stick’) looking pretty jaunty, Dublin.
F. Scott Fitzgerald fine and proper, St. Paul, MN.
Gustave Flaubert rocking white on white, Calvados, France.
Sun Tzu about to win a battle, Yurihama, Tottori, Japan.




[via flavorwire]

quarta-feira, 25 de julho de 2012

SILLY SEASON!


MODA (27)












"FALTA MEDIAÇÃO QUE PERMITA O ACESSO DOS JOVENS SAIR DO 'CHÃO RASO' DAS REDES SOCIAIS" DIZ ELIANA YUNES



Eliana Yunes (diretora adjunta da cátedra Unesco de Leitura da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro) afirma que para que os jovens aumentem os seus hábitos de leitura,  requer a existência de mediadores preparados que entendam as novas ferramentas tecnológicas para levá-los a fazer a ligação com o mundo em que vivem por meio da literatura.

Admite, também, que sem uma mediação adequada, “existe uma simplificação do uso da língua”. A leitura dos estudantes que estão conectados às redes sociais acaba circunscrita a um universo muito estreito ao qual eles têm acesso com facilidade. “Está na onda, está na moda. Tem a coisa da tribo, do grupo”, disse. A professora disse que essa leitura, porém, não têm a densidade necessária para levar os alunos à formação de um pensamento crítico.

 “Falta uma mediação que permita que esses meninos tenham acesso, mesmo via internet, a sites muito bons de poesia, de blogs, pequenas histórias, de museus, que discutem música, história”. Sites que, segundo Eliana, permitem que os alunos saiam desse “chão raso” e possam ser levados para uma experiência criativa da linguagem.

“Quem não lê tem muita dificuldade de escrever, de ampliar o seu universo de escrita, de virar efetivamente um escritor”

“Acho que a questão da escola passa pelo problema da mediação. Se nós não formos leitores de várias linguagens, de vários suportes, nós perderemos realmente o passo com esta geração, que está velozmente à nossa frente, buscando outras linguagens, outras formas de comunicação”. É preciso, sustentou, que os estudantes percebam que a literatura não é um peso ou uma obrigação. “Literatura é vida”.
Para Eliana, a literatura faz falta porque desloca o olhar das pessoas de uma coisa “líquida e certa”, para um lugar de reflexão, de discussão sobre o mundo e a vida humana. Isso pode ser encontrado não só no livro impresso, em papel, como também no livro digital. “Este jogo contemporâneo é muito rico”, disse. “Quanto mais suportes a gente tiver para a palavra escrita e para abrigar a reflexão sobre a condição do ser humano, melhor a gente vai poder abraçar as várias modalidades, que estão vivas, da palavra”.

[Nota: sublinhados nossos]

Ler toda a entrevista aqui

segunda-feira, 23 de julho de 2012

SUGESTÃO PARA DIAS DE CALOR!

[via tl]

SEMINÁRIO NACIONAL: VALOR ACRESCENTADO DAS ESCOLAS PORTUGUESAS




No próximo dia 21 de setembro de 2012 realizar-se-á um Seminário Nacional sob o tema do VALOR ACRESCENTADO DAS ESCOLAS PORTUGUESAS.

Neste Seminário, intitulado "QUAL O VALOR ACRESCENTADO DAS NOSSAS ESCOLAS?, organizado pelo Programa AVES – Programa de Avaliação Externa de Escolas –, promovido pela Fundação Manuel Leão, pretende-se refletir sobre o VALOR ACRESCENTADO das escolas que participam no Programa AVES e sobre os vários “resultados” que o Programa AVES produz nas escolas aderentes. Contará com a participação de Glória Ramalho, Joaquim Azevedo e com o testemunho de quatro escolas, estatais e privadas, de Ensino Regular e Ensino Profissional. Serão analisados os resultados do Programa AVES e feita a comparação com os resultados das provas nacionais. Serão também discutidos os resultados encontrados sobre os valores e atitudes, estratégias de aprendizagem dos alunos das nossas escolas.

Poderá consultar informação detalhada em www.fmleao.pt e fazer a sua inscrição. O valor da inscrição é de 2 euros e será emitido certificado de presença.

ESTÁTUAS DE GRANDES ESCRITORES (4)


Hans Christian Andersen with a duck, New York. Sculpture by Georg J. Lober, 1956.
Sir Arthur Conan Doyle gazing at the view, Crowborough, East Sussex. Sculpture by David Cornell, 2001.
Victor Hugo walking against the wind, Guernsey. Sculpture by Jean Boucher, 1913.
Frederick Douglass and Susan B Anthony having tea, Rochester. Sculpture by Pepsy Kettavong, 2001.



TO READ OR NOT TO READ



To read or not to read



quarta-feira, 18 de julho de 2012

ASSIM DISPENDI 67 MINUTOS




Como prenda do seu 94ª aniversário, Nelson Mandela fez um pedido: usarmos 67 minutos do nosso dia de hoje e fazermos algo em prol de um mundo melhor. Como acredito que é através da leitura que nos tornamos mais humanos, decidi espalhar 'livros' em formato QR code em lugares públicos e 'transformei' o meu carro numa mini biblioteca ambulante pois colei 4 autocolantes de 4 livros diferentes. Oxalá, sejam lidos por....alguns...por, ex. por você que está ler este post se tiver um QR reader no seu smartphone!

A CIRCULAÇÃO DE E-BOOKS NAS BIBLIOTECAS PÚBLICAS


NO SEU ANIVERSÁRIO, 'MADIBA' QUER UM PRESENTE ESPECIAL DE TODOS NÓS!

[via bantudaily]

Nelson Mandela, faz hoje 94 anos. Um homem que é uma referência pelo humanismo, pela ética, pela lucidez, pela inteligência e pela sensibilidade. Em 1993, recebeu o prémio Nobel da Paz. Em 2009, a ONU promulgou o dia do seu nascimento, 18 de julho de 1918, Mandela Day.
Para assinalar este seu aniversário, Nelson Mandela pede-nos um presente especial: 67 minutos de trabalho ao serviço dos outros. Estes 67 minutos correspondem aos anos que ele próprio lutou pela liberdade e pela igualdade. Disponíveis? Eu, sim!


terça-feira, 17 de julho de 2012

CONHECE A REVISTA "MAIS EDUCATIVA"?


Uma revista cheia de temas de interesse para um público jovem e que será pertinente divulgar nas bibliotecas escolares. Pode ser lida online ou descarregada em formato pdf.

Related Posts with Thumbnails